2000/2001

Não são artistas.

 

Não são obras de arte.

 

Aqui estão alguns trabalhos, que, limitados pelas noções essenciais e necessárias para o 3° ciclo, resultaram também da mistura de muitos registos, vivências e experiências de cada aluno.

 

E todos têm sensibilidade estética! Pode não encher o "olho do outro", mas todos já sabem que o gosto é mesmo relativo.

 

Na disciplina de Educação Visual a palavra "jeito" não serve como ponto de partida para alcançar bons resultados. E é do conhecimento de cada aluno que a mão não comanda o lápis, excepto quando ele sai dos limites do papel e desliza em sobressalto nas mesas das salas de aula. É com a nossa cabeça, com a ajuda dos nossos olhos, que tornamos saliente tudo o que é óbvio no mundo e ninguém repara: uma folha de árvore com tantas ramificações, um ouriço, a parede da sala que é tão rugosa, o caixote do lixo, a bota do nosso colega, a água que passa pelos arcos da ponte de Prado ... e o que é tão divertido é que tudo tem um nome e tudo tem uma forma.

 

É esse sentir mais abstracto e mais aguçado das coisas e das causas à nossa volta, mesmo de uma forma mais lúdica, que conseguimos apurar cada vez mais o nosso sentido crítico, estético e social perante o mundo à nossa volta.

 

E pretendemos comunicar visualmente com abertura, rigor e muita imaginação. Não somos perfeitos, mas aos poucos fazemos por isso, porque persistimos e cooperamos quando materializamos tantas ideias.

 

e_1 e_2
e_3 e_4
e_5 e_6
e_7 e_8
e_9 e_9a
e_9b

s_a s_b
s_c s_d
s_e s_f
s_g s_h
s_i s_j
s_l